NOVEDADES

PROGRAMA BIBLIOTECA NACIONAL SEM FRONTEIRAS

Ler a Bíblia de Mogúncia, uma das obras impressas mais antigas do mundo, apreciar as gravuras do mestre Debret, ouvir Villa-Lobos, em qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Tudo isso e muito mais pode ser apreciado através da Internet, no site da Fundação Biblioteca Nacional, onde o público tem a sua disposição o acervo mais precioso em forma digital. Documentos históricos - como a Carta de Caminha e a Lei Áurea -, mapas antigos, as belíssimas ilustrações do Livro de Horas, além das primeiras gramáticas em língua portuguesa estão entre os tesouros da Biblioteca Nacional, que o público tem acesso junto a mais de seis milhões de informações sobre o acervo de livros, jornais e revistas.

O Programa Biblioteca Nacional sem Fronteiras visa a criação de uma biblioteca digital concebida de forma ampla como um ambiente onde estão integrados as coleções digitalizadas, os recursos humanos e os serviços oferecidos ao cidadão. Esta iniciativa busca consolidar a inserção da Fundação Biblioteca Nacional na sociedade de informação. Para desenvolver o programa, foi criada, em janeiro de 2001, pelo Presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Eduardo Portella, a Comissão Coordenadora para a criação de Bibliotecas e Arquivos Digitais dos acervos pertencentes à Instituição. Este programa coloca a Fundação Biblioteca Nacional na vanguarda das bibliotecas da América Latina, igualando-a às maiores bibliotecas mundiais no processo de digitalização de acervos e acesso às obras e serviços, via internet, transformando-a em uma biblioteca sem fronteiras.

Áreas de atuação
A estratégia da criação da Biblioteca Nacional Sem Fronteiras está fundamentada em três importantes áreas:

1) A organização de infra-estrutura para Biblioteca Digital na FBN, compreendendo: - Aquisição de equipamentos e softwares especializados e ampliação da rede lógica. - Implantação do sistema de gestão de processos, visando à racionalização dos procedimentos internos para agilizar o atendimento via web. - E, por fim, a capacitação de recursos humanos é fundamental para a consolidação da infra-estrutura.

2) O desenvolvimento do sistema de informação digital tem como principais objetivos a criação, organização e disponibilização do acervo digital. A política para a sistematização e padronização inclui a captura, armazenamento, preservação, geração de metadados, geren-ciamento de objetos digitais, busca, recuperação e disseminação, além de reprodução e proteção de direitos do autor. Um dos pontos cruciais é a ampliação dos registros que integram os catálogos on-line disponíveis ao publico.

3) O atendimento ao cidadão é um dos pontos fundamentais. Uma concepção arrojada utilizando modernas ferramentas tecnológicas permitirá o atendimento personalizado e de qualidade ao cidadão. Serviços on-line, cursos à distância, consultas aos catálogos, acesso ao acervo digitalizado e exposições virtuais serão algumas das facilidades oferecidas. As Bibliotecas Digitais Temáticas foram criadas visando à ampla divulgação do acervo. Cabe citar os Tesouros da Fundação

Presidente da República
Fernando Henrique Cardoso

Ministro da Cultura
Francisco Weffort

Presidente da Fundação Biblioteca Nacional
Eduardo Portella

Comissão de Bibliotecas e Arquivos Digitais
da Fundação Biblioteca Nacional

Ana Ligia Medeiros - FBN
Adriana Olinto Ballesté - FBN
Ana Pavani - PUC-RIO
Ana Rosa Ahrends - FBN
Júlio Castro -FBN
Luiz Eduardo Conde -FCRB
Ubaldo Miranda - FBN

Apoio institucional
Fundação Casa de Rui Barbosa